jump to navigation

Need For Speed: Hot Persuit – Polícias e vilões Dezembro 7, 2010

Posted by nunomachado in Análises, Playstation 3.
trackback

A Electronic Arts resolveu entregar a produção de “Need For Speed: Hot Persuit” à Criterion Games, a responsável pela série “Burnout”, e em boa hora o fez. “Need For Speed” (NFS) tinha dado uma série de desilusões aos fãs nas últimas edições do jogo e precisava rapidamente de um balão de oxigénio. Este chegou através de “Hot Persuit”, o mais recente episódio da série, e um dos melhores jogos de corrida do ano e da saga NFS.

A ementa principal é o modo Carreira. Aqui o jogador pode optar por ser um “street racer” sem escrúpulos, ou mostrar os seus dotes de condutor como polícia. E não se pense que ao escolher o lado da lei, os bólides são mais limitados. Aqui, a polícia não tem limites orçamentais e desde Lamborghinis a Porsches, tudo é possível de ter sirenes. O sistema de progressão é muito simples. Os fora-da-lei têm como objectivo chegar ao top 20 dos mais procurados, enquanto os polícias procuram também ser os melhores. Sempre com pontos de experiência recolhidos no final de cada prova. Estas estão espalhadas pelo enorme mapa, com ícones que diferenciam a experiência entre o papel de fora-da-lei ou polícia. E o melhor é que o jogo não é linear, ou seja, pode avançar-se para qualquer prova, sem nenhuma ordem específica. Por outro lado, para avançar não é necessário ganhar, pois os outros lugares do pódio permitem a progressão. E ainda bem, pois “Hot Persuit” muda o paradigma antigo da série, onde ganhar era simples. Agora, os adversários dão luta e de que maneira!

As provas a disputar dividem-se entre duelos (o chamado um para um), contra-relógios, corridas normais e, claro, o Hot Persuit. E chagámos à cereja para colocar no topo do bolo. Aqui, há de tudo um pouco, como os “takedowns” e “ajudas” para retardar os adversários. Se os vilões podem utilizar pregos, bloqueadores de radar, turbos ou até um dispositivo que lança um impulso electromagnético, já os polícias podem recorrer ao mesmo impulso, mas também a barreiras na estrada ou chamar um auxiliar precioso, um helicóptero. Sempre a velocidades vertiginosas. Vale mesmo a pena experimentar! Quanto aos carros disponíveis temos tudo, menos Ferraris, que voltam a ficar de fora da ementa. Mas, quem tem um Bugatti Veyron, Lamborghinis, Porsches, Dodge Viper, Mercedes, BMW e por aí fora não fica decepcionado.

O modo online não tem grandes segredos, ou seja, são basicamente as provas que estão no modo Carreira, mas com mais jogadores. O que se destaca mesmo, é o Autolog, uma rede social de Hot Persuit, onde é possível partilhar tudo em tempo real e que permite uma experiência ainda mais completa deste jogo.

Uma palavra final para o fantástico aspecto gráfico, desde o desenho dos carros aos cenários até aos danos provocados nos carros. Também a banda sonora é fantástica, com músicas adequadas e o roncar dos motores a provocarem ainda mais adrenalina. Em suma, provavelmente o melhor NFS de sempre e um dos grandes jogos de corridas do ano.

Comentários»

1. Sérgio Lopes - Dezembro 14, 2010

E já ganhou o prémio de melhor jogo de corridas do ano! ficando a frente do forza 3 e GT5 !


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: