jump to navigation

Football Manager 2012 – Táctica infalível Outubro 27, 2011

Posted by nunomachado in Análises, PC.
trackback

Ano após ano, a questão repete-se, o que terá ainda para oferecer a série “Football Manager”? E todos os anos o melhor simulador de gestão futebolística consegue inovar e manter as suas melhores características, a base de dados e a jogabilidade. A edição de 2012 volta a seguir esta receita e mostrar que “Football Manager” continua a ser um jogo de entretenimento para muitas horas (quando se começa a ganhar então…) e uma ferramenta de trabalho valiosa para os aspirantes a José Mourinho. Exceptuando Cristiano Ronaldo, as grandes figuras actuais do futebol português são os treinadores. José Mourinho é o expoente máximo, mas tem um discípulo de peso, André Villas Boas. Há ainda Jorge Jesus no seu estilo muito próprio ou Domingos Paciência em clara ascensão. Ou seja, os treinadores portugueses estão em alta e dão cartas em todo o mundo. Por isso, porque não seguir os passos destes magos da táctica?

Sem grandes demoras, vamos às novidades desta versão de 2012, que não são muitas. O jogo não difere muito da edição anterior, mas ainda assim consegue mostrar algumas funcionalidades novas, algumas muito bem-vindas. Uma delas é a possibilidade de alterar os países e as competições inicialmente escolhidas. Anteriormente, o jogador escolhia os países e as divisões que queria jogar e já não podia alterar. Agora, pode escolher e baralhar de novo a meio da época ou quando desejar. Por outro lado, para facilitar a vida aos novos jogadores, a Sports Interactive introduziu alterações na interface do jogo, ainda mais intuitiva, e no tutorial de ajuda. E acreditem, quem se inicia neste mundo do FM bem precisa deste tutorial.

De resto, na criação do perfil, escolha de equipas e relação com os demais intervenientes da equipa não existem grandes novidades. Já na relação com os jogadores existe uma adição importante que pode influenciar o moral dos mesmos. Se dantes já era possível escolher algumas frases para analisar a exibição dos jogadores, agora pode escolher-se o tom em que são ditas essas frases. Pode optar-se por um estilo Jorge Jesus, ou seja, mais bruto ou agressivo, ou optar por um estilo Daúto Faquirá, bem mais calmo e conciliador. Também as negociações de transferências têm algumas nuances novas, como a hipótese de bloquear valores que são oferecidos aos jogadores, sem hipótese de renegociação.

Na parte que menos importa neste jogo, a visual, também foram acrescentadas algumas inovações no motor 3D que simula aos jogos. Existem duas câmaras novas, novos estádios e novas animações no público. Infelizmente, as figuras tristes que os guarda-redes faziam na edição anterior continuam presentes. Mas, enfim, tal como já foi referido, a vertente gráfica não é a mais importante em FM. Tal como não é o som, e que continua a ser o pior aspecto da série.

Em resumo, “Football Manager 2012” continua a apresentar como grandes trunfos uma base de dados enorme e actualizada quase na perfeição. A jogabilidade também se mantém, com a adição de alguns ingredientes que se saúdam, como é o caso da escolha de países a qualquer momento do jogo. Mas, falta dar um passo em frente, algo que leve os jogadores a não ficarem com a sensação de estarem apenas a comprar uma base de dados nova todos os anos. Fica uma ideia: conteúdo para desbloquear quando se ganham títulos, como uma liga com jogadores clássicos.

 

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: