jump to navigation

Saints Row: The Third – Maus rapazes Dezembro 11, 2011

Posted by nunomachado in Análises, Playstation 3.
trackback

É certo que não surge na melhor época do ano, onde se procura fazer o bem sem olhar a quem. Mas, “Saints Row: The Third” é daqueles jogos que venha quando vier, é sempre bem-vindo. Tudo porque é diferente de quase todos os títulos que estão no mercado e após os últimos meses a jogar FPS’s e jogos de futebol, nada como algo refrescante para variar.

Para quem não conhece a série, “Saints Row” é uma espécie de versão humorística da mítica série “Grand Theft Auto”. Aqui pouco ou nada faz sentido e o mais importante é a diversão. De história há pouco, até porque pouco conta nesta série. Ainda assim, o gangue Third Street Saints é o actual “dono” de Steelport, mas vê o seu domínio ameaçado pelo “The Syndicate”, uma organização com tipos muito maus e com cabeça o contada a história. Vamos agora ao que interessa, a mecânica de jogo. No imenso cenário à disposição do jogador muito há para fazer e tudo com qualidade apetecível. Há carros para assaltar, territórios para conquistar, modificar armas, enfim, um sem número de actividades pouco ortodoxas e que vai acordar o fora-da-lei que existe em cada um de nós. Quanto pior forem as acções praticadas, mais sobe o prestígio entre os “bad guys” da cidade.

O elo de ligação entre os vários elementos no mapa é o telemóvel. É com ele que se chamam reforços, se chega a outros pontos do mapa, ou entrar em missões. Estas são um pouco repetitivas, pois existe quase sempre tiros e explosões, o que leva o jogador a optar por circular mais livremente no cenário e fazer as maluquices que lhe der na cabeça e deixar as missões para segundo plano. Ainda assim, destaque para uma das missões onde o jogador entra num clube sado-masoquismo e terá de fazer o papel de submisso tal como veio ao mundo… Há ainda droga para traficar, pessoas para matar, entre outras actividades ilícitas, sempre com o objectivo de angariar dinheiro que depois serve para melhorar habilidades.

Existe também um pouco de vertente RPG, pois as personagens podem ser melhoradas. Ao ganharem mais habilidades é possível melhorar as potencialidades nos confrontos que vão surgindo a cada esquina. Destaque ainda para a caracterização dos protagonistas, quase todos saídos de um qualquer filme de gangsters.

Além da versão a solo, “Saints Row: The Third” permite juntar um amigo e partir para a maluquice. Existe um novo modo, Whored, uma espécie de um contra todos. Ao nível gráfico, esperava-se bem mais, principalmente porque este género exige muito do cenário onde se desenrola a acção. Steelport não é brilhante e fica a anos-luz do que se vê em GTA. Já a banda sonora é poderosa e a pedir, por favor, melhores gráficos para uma próxima oportunidade.

Em suma, “Saints Row: The Third” é arrojado no que oferece, mas pouco inovador no género. Consegue surpreender em algumas actividades que o jogador terá de efectuar, mas falha em não inovar no género e no aspecto gráfico. Mas não deixa de ser um belo divertimento.

 

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s