jump to navigation

Grand Slam Tennis 2 – Bola cá, bola lá… Fevereiro 29, 2012

Posted by nunomachado in Análises, Playstation 3, Vídeos.
Tags: , ,
trackback

E porque uma análise a um jogo não tem que ser mais do mesmo, nem ter um dicionário ao lado com expressões próprias desta indústria, o Gamesroom inicia com esta análise um novo estilo, mas sempre com a mesma finalidade: ser objectivo e informar de forma imparcial. Esclarecido este ponto, vamos ao que interessa.

A análise a “Grand Slam Tennis 2” teve dois resultados práticos: uma tendinite no ombro direito e uma tremenda dor nas costas. Quer isto dizer, que durante algumas horas, este foi o jogo que prevaleceu na consola e que divertiu, mas há reparos a fazer aos produtores do jogo, se eles fizerem o obséquio de ler esta análise.

“Grand Slam Tennis 2” promoveu-se por oferecer a oportunidade única de jogar os quatro torneios do Grand Slam e juntar estrelas actuais do ténis com outras onde o reumático é já uma realidade. Ao mesmo tempo, procurava atrair os detentores da Playstation 3, com uma jogabilidade única através do comando Move. A publicidade não foi enganosa. “Grand Slam Tennis 2”  tem isto tudo, mas pouco mais. Vamos por partes. Podemos jogar ténis de três formas. Escolher um torneio, iniciar uma carreira ou desafiar um qualquer tenista em todo o mundo. Quando optamos por jogar um torneio, ou simples jogo de singulares ou pares, tudo corre sobre rodas porque são modos que não enganam. O pior é quando pensamos que vamos seguir os passos de Rafael Nadal ou Roger Federer e resolvemos iniciar uma carreira. Temos 10 anos para mostrar o que valemos, mas acreditem que bastam apenas dois para tal. E porquè? Porque os produtores trocaram-se todos ao criar este modo Carreira. Quer se escolha uma estrela actual ou se crie um “cromo” novo, a carreira inicia-se no modo de dificuldade mais baixo. As facilidades são tantas que venha o Federer, o Nadal, o Sampras que os limpamos sem quase tocarem na chicha. No segundo ano, a dificuldade aumenta para Amateur, mas a diferença é pouca. O que significa que nestes dois primeiros anos é possível ganhar todos os torneios em que se participa e são apenas oito. Ou seja, os produtores registaram as queixas de Rafael Nadal sobre a dureza do circuito e dos muitos torneios que têm de jogar e vai daí toma lá oito torneios para não se cansarem muito. A partir do terceiro ano, tudo muda porque se entra no modo Profissional. Confesso que estou para o ténis virtual como o Frederico Gil está para o ténis real, ou seja, a nível internacional sou fraquinho, mas cá em casa sou o melhor. Por isso, jogar no modo Profissional oferece desafios bem mais puxados que podem levar os menos ajeitados a desistir rapidamente da Carreira, até porque já ganharam tudo nos primeiros anos. Do quarto ano até final da Carreira, entra-se no nível Superstar e aqui então é de fugir. Por momentos, pensei que o Rafael Nadal não precisava de mim no court e jogava sozinho, vindo bater as bolas ao meu lado e ainda a tempo de responder do lado dele, tal a velocidade!

O modo online oferece torneios ou simples partidas, onde por vezes a coisa engasga, mas acaba por ser um modo divertido e uma excelente opção para juntar uns quantos tenistas de sofá e obrigá-los a suar um pouco.

Para se diferenciar dos jogos concorrentes,  “Grand Slam Tennis 2” foi ao baú da memória e retirou o mofo a algumas das lendas da história do ténis. Para além de disponibilizar nomes como John McEnroe, Pete Sampras, Martina Navratilova ou Lindsay Davenport em qualquer dos modos, ainda faz reviver alguns dos grandes confrontos de sempre. Uma questão para os senhores da EA, não gostam de mulheres tenistas? Apenas oito presentes, quatro actuais e quatro do passado. Já nos homens, o que não falta são grandes estrelas, senão vejamos: Federer, Nadal, Djokovic, Borg, Sampras ou McEnroe, entre outros.

O melhor mesmo de “Grand Slam Tennis 2” é a jogabilidade. Esta encontra-se a meio caminho entre a simplicidade da série “Virtua Tennis” e a complexidade e realismo de “Top Spin”. A EA muito falou no Total Racquet Control que na prática era como o jogador ter uma raquete na mão. Ou seja, com o analógico esquerdo controla-se o movimento, com o direito o tipo de pancada e a força. Pode dizer-se que ao início a coisa estranha-se, mas ao fim de algum tempo entranha-se e torna-se intuitivo. Além do mais, quem se baralhar com os dois analógicos, pode substituir a qualquer momento o direito pelos tradicionais botões. A cereja no topo do bolo está no comando Move, este sim, parece que o jogador tem uma raquete na mão e a tendinite e a dor nas costas estão aí para o provar.

Outro aspecto onde “Grand Slam Tennis 2” faz um às à concorrência é nos comentários de McEnroe e Pat Cash. Apesar de ao fim de algum tempo parecerem uma cassete repetitiva, é uma excelente inclusão e ajudam a criar ambiente. A nível visual, os quatro grandes torneios foram recriados quase na perfeição, mas depois pouco há para além deles. Também a recriação dos jogadores mostra qualidade, mas pode ser melhorado. Federer em alguns casos com esquerda a duas mãos?? Onde é que os produtores viram isso? E Nadal a subir à rede parecendo que vai saltá-la a qualquer momento?

Resumindo, boa jogabilidade, presença importante dos 4 torneios do Grand Slam, os melhores jogadores de sempre e boa adaptação ao Move. No outro lado da balança, modo Carreira para esquecer, pouca variedade de torneios e faltam mais mulheres neste jogo!

Avaliação:

Não percas tempo com este jogo!

Joga uma vez e arruma na prateleira.

√ Se não tiveres mais nada que fazer é um bom divertimento.

Estou a jogar há três dias e ainda não me cansei!

Até pagava o dobro por este jogo!

Comentários»

1. Renato - Março 13, 2012

Olá adquiri a pouco o jogo e tenho o Motion Controller, mas entro no jogo e não consigo fazê-lo funcionar, tenho dois (controles) testei os dois e nada, tem algum segredo? Vou até as confirgurações do Motion Controller Calibration e diz que apenas o Motion Cont. pode usar a tela. Sabe onde consigo ajuda com isso , procurei em toda net e vi sua análise sobre o jogo e talvez vc consiga me dar uma mão. Abço e obrigado.

nunomachado - Março 17, 2012

Olá. Não encontro nenhuma razão para não funcionarem. Um conselho é ligar os comandos antes de entrar no jogo.Testar os comandos com outro jogo para ver se o problema está no jogo ou nos comandos. Das informações que dá, não consigo encontrar outras soluções. Espero ter ajudado. Bons jogos!

2. douglas lupatini - Janeiro 5, 2013

olá,comprei o jogo agora e tenho uma duvida quando vc esta jogando a bola nunca sai pra fora,pq ja temtei mandar ela pra fora e nunca vai.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: